Último debate entre presidenciáveis marcado por ataques diretos ~ Blog do Lenno Barbosa Parambu

Último debate entre presidenciáveis marcado por ataques diretos

Levy Fidelix, Dilma Roussef, Marina Silva, Eduardo Jorge, Luciana Genro, Aécio Neves e Pastor Everaldo.
 Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo.
O último debate entre os presidenciáveis foi realizado na noite desta sexta-feira, 02, na TV Globo e, como antecipado por este site, foi marcado por ataques a Dilma Rousseff. A munição: corrupção envolvendo seu governo e a suposta utilização dos Correios em sua campanha eleitoral.
Luciana Genro (PSOL) foi quem primeiro perguntou sobre as denúncias envolvendo o ex-diretor Paulo Roberto Costa. Ela quis saber se as denúncias contra Costa não seriam resultado de alianças do governo petista. Dilma voltou a dizer que demitiu pessoalmente o acusado. “Não acho que sejam alianças que definam corruptos, corruptos há em todo lugar. A abertura a todas as atividades de investigação é característica do meu governo. Não acredito que ninguém esteja acima de corrupção. Acho que todo mundo pode cometer corrupção”, disse a presidente.

Coube ao candidato Pastor Everaldo instigar Aécio Neves sobre a denúncia de uso dos Correios na campanha petista, estatal que foi “a origem do mensalão”. O tucano não perdeu a oportunidade. “É vergonhoso o que vem acontecendo nas nossas empresas públicas. A Petrobras deixou há muito tempo as páginas de economia para, diariamente, nos surpreender nas páginas policiais. Agora, os centenários Correios estão a serviço de uma candidatura e de um partido político em Minas Gerais. Quem diz isso não sou eu. É uma gravação de uma das principais lideranças do PT em Minas, que diz: se o PT hoje apresenta determinados índices nas pesquisas eleitorais, isso se deve ao dedo do PT nos Correios. Fomos descobrir que grande parte das correspondências enviada por nós não chegou aos destinatários. Por isso, tenho defendido a candidatura de Pimenta da Veiga porque não quero que as empresas públicas de Minas, como de todas do Brasil, não caiam nas mãos daqueles que as utilizam para fazer negócios”, disse o candidato, afirmando sentir “indignação”, ao ver o estado brasileiro “a serviço de um projeto de poder”.

A autonomia do Banco Central, foi tema de embate entre Dilma e Marina Silva. A candidata do PSB disse que, em 2010, Dilma defendia a autonomia do Banco Central. E que mudou sua posição na eleição deste ano. “ Qual Dilma que está falando agora? A que está usando o discurso da eleição ou a que tem uma convicção?”

Dilma afirmou que Marina confunde autonomia com independência. “ Independência só são para os poderes. Independência (do BC) é dar um quarto poder para os bancos. Sempre defendi autonomia, sempre me acusam de não respeitá-la. Eu respeito. A autonomia tem que ser opção que os governos fazem em defesa de uma política de combate à inflação. Sugiro que a senhora leia o que escreveram sobre seu programa”.

O clima do debate também refletiu o momento acirrado da disputa, em que Marina e Aécio disputam ponto a ponto quem chegará ao segundo turno contra Dilma. O tucano fez referência à ação que a adversária ajuizou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a exploração do fato de que Marina, a despeito de defender a “nova política” estava no PT na época do mensalão.

Marina de pronto rebateu. “Pessoas que cometem erros, como é o caso do mensalão do PT e do PSDB, existem. Saí do PT para manter a minha coerência. Não vi o senhor sair do PSDB”

Fonte: Ceará Agora

PUBLICIDADE:
Postar um comentário