NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, DEPUTADA ADERLÂNIA DENUNCIA CRIMES OCORRIDOS EM PARAMBU E NA REGIÃO DOS INHAMUNS ~ Blog do Lenno Barbosa Parambu

NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, DEPUTADA ADERLÂNIA DENUNCIA CRIMES OCORRIDOS EM PARAMBU E NA REGIÃO DOS INHAMUNS

A violência na Região dos Inhamuns voltou a ser destaque na Assembleia Legislativa através do pronunciamento da deputada Aderlânia Noronha (SD). Ela apontou que, por estar situado na divisa do Estado, o Município de Parambu é porta de entrada para o tráfico de drogas e sofre com o crescente aumento de crimes de pistolagem, que muitas vezes ficam impunes.
A deputada relatou que, na região, faltam policiais e em muitas das delegacias não há delegados ou sequer pessoal qualificado para dar trâmite aos inquéritos. "A não elucidação dos crimes e a consequente não punição exemplar dos criminosos é uma das maiores causas da violência", alertou Aderlânia, revelando já ter sido assaltada na frente de sua filha. "Os crimes de pistolagem, praticados em larga escala no início do século passado, infelizmente estão voltando e atingindo em cheio as famílias cearenses".
Ela ainda criticou o governador Camilo Santana (PT) ao destacar que o chefe do Executivo estadual não estaria cumprindo a promessa de que os cortes feitos no Orçamento não atingiriam serviços essenciais como a Segurança pública. "O que ouvimos do secretário de Segurança Delci Teixeira foram o anúncio de cortes e mais cortes", lamentou, afirmando ter procurado Teixeira para exigir ações para a região. "Não houve nenhuma resposta satisfatória ao que reivindicamos".
Segundo Aderlânia, é necessário que um maior efetivo de policiais seja deslocado ao Município, uma vez que "o tráfico interestadual encontra ali uma enorme porta aberta para chegar ao Ceará". "Fomos ao secretário para reivindicar e ele foi quem pediu para que apoiássemos o corte de recursos para esse setor tão fragilizado. O resultado é que hoje a violência vai vitimando pessoas, causando sofrimento aos seus familiares, e fazendo crescer essa estatística tão indesejada", criticou.

Pistolagem
O deputado Joaquim Noronha (PP) havia destacado, na última quinta-feira (5), que em média 15 pessoas por mês são assassinadas naquele Município. "É incabível, nos tempos de hoje, retornarmos à época do cangaço, da bandidagem e da pistolagem", afirmou. Em aparte, ao pronunciamento da deputada, ontem, o parlamentar assegurou querer somar esforços para melhorar a qualidade de vida das pessoas daquela região e apontou ter enviado um requerimento ao secretário de Segurança para que fossem tomadas providências.
O progressista destacou ainda estar articulando, juntamente com o deputado Odilon Aguiar (PROS), do Município de Tauá, a criação de uma frente parlamentar a ser formada por deputados da região com o objetivo de concentrar esforços em prol da área que abrange o Sertão de Crateús e os Inhamuns. "A ideia é que possamos ajudar e contribuir com o povo da região", destacou. Também devem participar da frente parlamentar os deputados Carlos Felipe (PCdoB) e Jeová Mota (PROS), entre outros.
Em aparte, o deputado Roberto Mesquita (PV) afirmou que a deputada tocou no cerne do problema da Segurança pública ao mencionar a questão das divisas do Estado e lembrou que há um projeto de iniciativa de Ely Aguiar (PSDC) no sentido de criar um batalhão de fronteiras para evitar que drogas provenientes de outros estados atravessem as divisas cearenses. "É preciso cobrar mais efetivo (policial) para que os crimes sejam elucidados", reforçou.

Seca
Aderlânia também destacou que a Região dos Inhamuns é a mais penalizada pela seca, tendo o menor índice de chuvas do Estado, com a média 450 milímetros por ano. "São muitos municípios que estão em estado de quase desespero", lamentou. "É lá onde menos chove, mesmo em tempos de melhores invernos".
Na semana passada, o deputado Odilon Aguiar afirmou ao Diário do Nordeste ter se reunido com o secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, em duas oportunidades, para tratar de assuntos da Região dos Inhamuns. Segundo ele, vários açudes da região secaram e adutoras estariam com problema de funcionamento por conta da falta de energia elétrica. Ele destacou ainda que a secretaria estava em processo de contratação de equipamentos e empresas para conter os efeitos da estiagem.

Diário do Nordeste


Postar um comentário