QUITERIANOPOLENSE PODE ESTAR ENTRE OS MORTOS DO ACIDENTE COM O ÔNIBUS DA EMPRESA TRANSBRASILIANA, OCORRIDO NO PIAUÍ ~ Blog do Lenno Barbosa Parambu

QUITERIANOPOLENSE PODE ESTAR ENTRE OS MORTOS DO ACIDENTE COM O ÔNIBUS DA EMPRESA TRANSBRASILIANA, OCORRIDO NO PIAUÍ

Raimundo Bezerra exibe foto do irmão que não vê há 28 anos (Foto: Gustavo Almeida/G1)

A família do agricultor José Bezerra Neto, aproximadamente 64 anos, compareceu ao Instituto Médico Legal em Teresina em busca de informações sobre o seu paradeiro. Segundo um irmão de José, o idoso era um dos passageiros do ônibus da empresa Transbrasiliana que colidiu com um caminhão-tanque na BR-316 no Piauí. O acidente aconteceu por volta das 10h desta segunda-feira (15) e deixou sete pessoas mortas. Raimundo Bezerra chegou a reconhecer um dos corpos como sendo do irmão, mas como não vê o agricultor há 28 anos aguarda exames de DNA para comprovar. José Bezerra Neto saiu de Balsas, no Maranhão e seguia para Quiterianópolis, no Ceará, onde acompanharia o velório da irmã.

A confusão em relação ao nome do agricultor nas listas de mortos causa estranheza. Em nota divulgada pela assessoria da Transbrasiliana ao Instituto Médico Legal de Teresina na tarde desta terça-feira (16), José Bezerra Neto estaria entre as vítimas do acidente. Horas antes, na manhã do mesmo dia, a empresa havia divulgado a informação de que nome do idoso não constava na lista, uma vez que ele teria desistido da viagem e trocado o bilhete com uma mulher. Segundo a família, o idoso fez o último contato telefônico quando saía da cidade de Balsas. 

“Ele estava indo para nossa terra acompanhar o velório da nossa irmã. Infelizmente, nossa família perdeu duas pessoas em uma semana. Estamos muito abalados. Meu irmão casou com uma mulher e foi morar em Balsas, no Maranhão. Só não perdemos o contato porque às vezes a gente se fala por telefone, mas o contato presencial não acontecia há 28 anos.”, disse.
Assim que soube da possibilidade do irmão estar entre as vítimas do acidente, Raimundo Bezerra se deslocou para o Instituto Médico Legal em Teresina para tentar reconhecer o corpo.

“Estava esperando ele para o velório, mas como não apareceu tivemos que sepultar o corpo da nossa irmã. Estranhamos o atraso porque a última vez que ele se comunicou conosco foi quando estava saindo do Maranhão. Neto disse que ligaria quando chegasse em Teresina porque embarcaria em outra condução com destino ao Ceará, no entanto, este contato não aconteceu e por volta de 18h dessa segunda-feira tivemos a informação de que ele havia falecido”, revelou Raimundo Bezerra.

Ainda de acordo com o irmão, a ausência de documentação do agricultor tem dificultado a liberação do corpo no IML. José Bezerra Neto passou a morar sozinho em Balsas após se divorciar da esposa que hoje mora em São Paulo com os filhos.

“Nem sei ao certo se o corpo que apontei como sendo do meu irmão é o dele mesmo porque não nos víamos há muito tempo. Fiz um reconhecimento por acreditar que ele apresentaria certas características que encontrei em um dos corpos do IML. Agora, estou tentando levar o corpo para Quiterianópolis onde será sepultado, mas a falta de documentação está atrapalhando um pouco a liberação”.

De acordo com diretor do IML Antônio Nunes, o corpo que se encontra em Teresina ainda não foi identificado devido ao estado em que ficou após o acidente, e que os exames de DNA poderão apontar um desfecho para o caso.

"O homem não foi identificado e apenas com os exames de DNA poderemos afirmar com exatidão se o corpo é ou não da vítima em questão", frisou o diretor.

Portal G1 Piauí



                        
Postar um comentário